Arquivo de Competitividade Archives - Page 2 of 3 - TheDOMNetwork!

5 Forças de Porter, Análise SWOT… Quem Sou, Onde Estou e para Onde Devo Ir

As variáveis que impactam tanto a dinâmica dos mercados nos quais determinada empresa está inserida, quanto as relacionadas aos aspectos internos da organização, devem ser cuidadosamente identificadas, monitoradas e utilizadas para que se tenha uma correta e clara visão dos três principais elementos que devem ser esclarecidos para a maximização da competitividade da organização: quem sou , onde estou e para onde devo ir.

O Crepúsculo de Talentos

O mercado arde. A cada dia a competição aumenta nos diversos setores. E os concorrentes tradicionais nem sempre são os maiores inimigos. Legislações, novas regulamentações, pressões dos consumidores, monitoramento de ONGs, vigilância da mídia, novos desafiantes oriundos de outros segmentos, inovações e rupturas... tudo isso quase que coloca os concorrentes históricos de um setor do mesmo lado da mesa, unidos e isolados neste mar de ameaças. Como lidar com isso? Como se diferenciar, performar e gerar mais valor ao acionista? Mais e melhores talentos são a base da resposta. O Capital Humano certamente é o ativo mais relevante para o sucesso das bravatas corporativas, apesar de ser o intangível mais controverso e mais disputado.

A Guerra de Gerações Chega ao Atendimento

Há pouco tempo, ouvimos de Marcos (nome fictício) - CEO de 70 anos em uma das maiores empresas do Brasil - sobre sua péssima experiência como cliente de um novo e badalado restaurante no Rio de Janeiro... e sobre sua decisão de nunca mais voltar lá. A reserva havia sido feita adequadamente por sua secretária, o manobrista recebeu seu carro de maneira educada e o próprio dono do restaurante o encaminhou a uma das melhores mesas do lugar. Em seguida, um jovem garçom veio até sua mesa, puxou uma cadeira, sentou-se com ele e, amistosamente lhe apresentou o cardápio. As indicações do garçom foram certeiras, pois a comida e o vinho estavam excelentes. (more…)

Gestão de Ativos Intangíveis: O Caminho do Crescimento com Valor Sustentável

É consenso entre as empresas e seus executivos que procurar novos focos para gerar crescimento de dois dígitos de forma a satisfazer os mais exigentes acionistas é tarefa tão necessária, quanto árdua. Fato é que são poucas as empresas globais que têm conseguido gerar, de forma consistente e contínua, margens de crescimento superiores a 10% ao ano. Neste jogo do mercado, a prerrogativa do acionista é a remuneração de seu capital na máxima possibilidade possível. A obrigação do gestor, do líder, do CEO, é criar estratégias e mecanismos para que isso seja possível, usando o mínimo de recursos possível. O inimigo é a concorrência, que compete pelos recursos escassos de market-share, mind-share e pocket-share. O Big Brother é o mercado e seus analistas, traders, investidores, market-makers e reguladores, que julgam as estratégias dessas empresas, impondo, em mercados mais desenvolvidos, o desafio da performance superior quarter a quarter. Fecham a equação de agentes, outros influentes reguladores, como ONGs e imprensa, que têm o poder de amplificar para o bem ou para o mal o que cada competidor faz para vencer o jogo, o Governo e a Sociedade e seus diversos interesses, os clientes e consumidores com seus diversos chapéus (e todo poder de conferir, em última instância, a vitória a quem desejarem) e os “aliados” que trabalham em/para cada competidor, traduzidos na figura de colaboradores, terceiros, fornecedores, parceiros, etc.

Competividade, Vantagem Competitiva e os Intangíveis

Alta competitividade é um estágio que se alcança quando os principais critérios competitivos que regem determinado mercado de atuação são alcançados, a ponto de a empresa conquistar e manter os principais clientes e participar, de forma crescente e sustentável, com fatias de mercado adequadas às suas aspirações estratégicas, de posicionamento e de reputação, assim como, obviamente, financeiras e de valor. Empresas, assim como os organismos vivos em geral, dependem de sua capacidade de adaptação e mudança aos desafios impostos por seu meio ambiente (ecossistema). A dinâmica em que os mercados evoluem traz consigo mudanças de diferentes ordens e de diferentes origens, sem uma lógica linear ou totalmente previsível de acontecimentos e impactos, dada a diversidade de papéis e influências que cada uma das partes, atores deste ecossistema, sofre no processo de absorção e resposta a estas mudanças, assim como na interação com seus principais stakeholders.

A Década dos Ativos Intangíveis, Modelos de Avaliação e o IAM®

Essa década foi marcada por um fato inédito na história do valuation das empresas. Pela primeira vez, uma percentagem significativa e crescente do Valor, Fontes de Renda, Sustentabilidade Futura e Ganhos Potenciais das empresas passaram a estar nitidamente associados aos Ativos Intangíveis, ao invés dos tradicionais primos Tangíveis. Pesquisas da DOM Strategy Partners apontam que em alguns setores até 75% do valor de mercado de uma empresa está associado à percepção que os stakeholders têm sobre sua Marca, sua Gestão de Talentos, sua Governança Corporativa, sua Capacidade de Inovação e outros atributos intangíveis. Como decorrência desse fato, acadêmicos, especialistas, pesquisadores, legisladores e executivos propuseram, nos últimos anos, diferentes modelos para a identificação, valoração e gestão dos Ativos Intangíveis no âmbito empresarial. Via de regra, tais modelos podem ser agrupados em quatro grandes categorias que serão avaliadas brevemente nesse artigo. (more&he

E-Book – Competitividade

E-Book Competitividade DOM Strategy Partners 2010 View more documents from DOM Strategy Partners

O Valor do seu Negócio está na mão de quem?

Por: João Paulo Altenfelder A importância das partes interessadas na geração de valor e na sustentabilidade do negócio. Negócio Sustentável é aquele que procura entender os limites e oportunidades que estão no contexto global e local - como a pobreza, mudanças demográficas, legislações, tecnologia, disponibilidade de recursos naturais e humanos e a regras de globalização – analisa estas informações de forma selecionada e procura cruzar com a cadeia de valor do negócio.

Economia Criativa. Criar Futuros Desejáveis.

Por: Lala Dehenzelin Escrevo este artigo como uma ficção embasada por minha experiência em consultoria para governos e empresas, os conceitos que dela derivam e as visões de futuro que resultaram dos workshops que realizamos. Parto de dois temas com os quais atuo e que são fundamentais (1) economia criativa: a grande estratégia de desenvolvimento sustentável do século XXI (2) criar futuros desejáveis: um processo essencial para gerar motivação, inovação e oportunidades. Olhando imagens e visões do “passado do futuro” fica claro que aquilo que vivemos hoje foi antes sonhado: telecomunicações, computação, carros, cidades, medicina diagnóstica, formas de lazer. Através do meios de comunicação isso mobilizou nosso desejo e inseminou o presente. Agora, é a nossa vez de sonhar e criar novos modelos de vida e negócios que possam ser sementes de futuro e sirvam para orientar nossas escolhas do presente.